Ultimas

ÚLTIMOS POSTS

quarta-feira, 26 de abril de 2017

Efraim celebra aprovação de relatório da PEC da Vaquejada, do deputado Paulo Azi

Foto: L. Barbosa
O líder do Democratas na Câmara, deputado Efraim Filho (PB), celebrou a aprovação do relatório da PEC 304/17 na Comissão Especial que regulamenta a prática da vaquejada. Segundo Efraim, o texto, do deputado Paulo Azi (BA), traz segurança jurídica à prática da vaquejada. “A regulamentação da vaquejada é um importante passo no reconhecimento dessa cultura tão cara ao Nordeste”, ressaltou o parlamentar.
Efraim lembrou a importância da vaquejada nas regiões Norte e Nordeste do país. “A vaquejada é uma tradição que passa de geração em geração”, destacou. “Além disso, movimenta uma cadeia produtiva muito diversificada e responde por cerca de 700 mil empregos, diretos e indiretos”, frisou.
Para o parlamentar paraibano, o Supremo Tribunal Federal (STF) errou ao proibir a vaquejada. “Talvez por desconhecer a prática, o Supremo se equivocou ao impedir a prática dessa importante manifestação cultural”, ponderou. “Diferentemente do que muitos imaginam, há um cuidado extremo com o bem-estar animal, há fiscalização e boas práticas nos eventos de vaquejada”, argumentou.

O relator da matéria, deputado Paulo Azi, destacou também a importância da vaquejada como manifestação cultural e atividade econômica. “A vaquejada é, hoje, mais do que apenas uma atividade de natureza cultural ou esportiva, mas é sobretudo uma atividade econômica, que emprega milhares de pessoas e que gera renda para centenas de cidades do norte e nordeste do Brasil”, disse.
Por Hosa Freitas com Assessoria

terça-feira, 25 de abril de 2017

Efraim pede do governo prioridade para o estaleiro de Lucena e o Porto de Cabedelo

O deputado federal paraibano Efraim Filho, líder do Democratas na Câmara Federal, informou que estará solicitando ao Governo Federal que priorize obras do setor naval no Estado da Paraíba, o que para o deputado poderá transformar a economia local.
As construções do terminal multiuso no Porto de Cabedelo e do estaleiro na cidade de Lucena podem gerar 5.500 empregos, sendo 2.600 diretos e 2.900 indiretos. O valor total de investimentos previstos para essas duas obras no setor naval e de logística no litoral paraibano passa da marca de R$ 2,5 bilhões.
“Iremos fazer gestão junto ao Governo Federal para que formalize parcerias público-privadas (PPPs) e priorize investimentos nessas obras de caráter estruturantes e propulsoras da economia do nosso Estado”, informou Efraim.
De acordo com o parlamentar, com nova estrutura e profundidade, o Porto pode alcançar R$ 1 bilhão em ICMS. Efraim disse que, além de um terceiro berço para a travagem de navios com o terminal multiuso a dragagem e o reforço do Cais, também devem ser feitos.
Efraim Filho avalia que essas obras vão colocar a Paraíba nas rotas internacionais, uma vez que vão permitir que o porto receba navios de maior porte. “Com o calado mais profundo, e que o porto terá um aumento de atividades e vai arrecadar mais impostos, além de gerar mais empregos”, concluiu.

Estou solicitando ao Governo Federal que priorize as obras do setor naval no Estado da Paraíba. A construção do terminal multiuso no Porto de Cabedelo e do estaleiro vai gerar mais empregos e renda transformando a economia local.
Fonte: Assessoria/Paraíba Já

Comissão aprova texto principal da reforma trabalhista

BRASÍLIA - A comissão especial que analisa a reforma trabalhista na Câmara dos Deputados aprovou há pouco, por 27 votos favoráveis e 10 contrários, o parecer do relator Rogério Marinho (PSDB/RN) com as alterações à Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). Esta é a maior reforma desde a criação da CLT. O colegiado ainda vai votar 25 destaques que retiram trechos do substitutivo. Os destaques não foram distribuídos ainda aos deputados.
Apesar da polêmica em torno do assunto, o relator manteve no texto o fim da obrigatoriedade do imposto sindical e retira a exigência de os sindicatos homologarem a rescisão contratual no caso de demissão. A contribuição sindical passa ser optativa.
O novo texto, apresentado pouco antes da reunião, mantém as principais medidas do substitutivo anterior, como a regulamentação do chamado trabalho intermitente, modalidade impopular que permite remuneração por período trabalhado.
A regulamentação da jornada intermitente recebeu diversas emendas. Por esse tipo de contrato, o empregado pode trabalhar por alguns dias da semana, ou por algumas horas diárias, de acordo com a demanda do empregador. O trabalhador, contudo, deve ser convocado com, no mínimo, cinco dias de antecedência.
Além do trabalho intermitente, o projeto permite que a negociação entre empresas e trabalhadores prevaleça sobre a lei em pontos como parcelamento das férias em até três vezes, jornada de trabalho de até 12 horas diárias, plano de cargos e salários, banco de horas e trabalho em casa.
Entre as mudanças apresentadas hoje está a regulamentação do trabalho de gestantes e lactantes em locais insalubres. Hoje, elas não podem trabalhar em locais assim e devem ser transferidas para outra área. O texto anterior abria margem ao trabalho em local insalubre.

Confira os principais pontos da proposta

Negociação
Negociação entre empresas e trabalhadores vai prevalecer sobre a lei para pontos como: parcelamento das férias em até três vezes; jornada de trabalho, com limitação de 12 horas diárias e 220 horas mensais; participação nos lucros e resultados; jornada em deslocamento; intervalo entre jornadas (limite mínimo de 30 minutos); extensão de acordo coletivo após a expiração; e entrada no Programa de Seguro-Emprego; plano de cargos e salários; banco de horas, garantido o acréscimo de 50% na hora extra; remuneração por produtividade; trabalho remoto; registro de ponto.

Fora da negociação
As negociações entre patrões e empregados não podem tratar de FGTS, 13º salário, seguro-desemprego e salário-família (benefícios previdenciários), remuneração da hora de 50% acima da hora normal, licença-maternidade de 120 dias, aviso prévio proporcional ao tempo de serviço e normas relativas à segurança e saúde do trabalhador.

Trabalho em casa
Regulamentação modalidades de trabalho por home office (trabalho em casa), que será acordado previamente com o patrão – inclusive o uso de equipamentos e gastos com energia e internet.

Representação
Representantes dos trabalhadores dentro das empresas não precisam mais ser sindicalizados. Sindicatos continuarão a atuando nos acordos e nas convenções coletivas.

Trabalho intermitente
Modalidade pela qual os trabalhadores são pagos por período trabalhado. É diferente do trabalho contínuo, que é pago levando em conta 30 dias trabalhados, em forma de salário. O projeto prevê que o trabalhador receba pela jornada ou diária, e, proporcionalmente, com férias, FGTS, previdência e 13º salário.

Jornada de 12 horas
O projeto estabelece a possibilidade de jornada de 12 de trabalho com 36 horas de descanso. Segundo o relator, a jornada 12x36 favorece o trabalhador, já que soma 176 horas de trabalho por mês, enquanto a jornada de 44 horas soma 196 horas.

Recisão contratual
O projeto de lei retira a exigência de a homologação da rescisão contratual ser feita em sindicatos. Ela passa a ser feita na própria empresa, na presença dos advogados do empregador e do funcionário – que pode ter assistência do sindicato. Segundo o relator, a medida agiliza o acesso do empregado a benefícios como o saque do FGTS.

Ações trabalhistas
O trabalhador será obrigado a comparecer às audiências na Justiça do Trabalho e arcar com as custas do processo, caso perca a ação. Hoje o empregado pode faltar a até três audiências judiciais.

Terceirização
O projeto propõe salvaguardas para o trabalhador terceirizado, como uma quarentena de 18 meses para impedir que a empresa demita o trabalhador efetivo para recontratá-lo como terceirizado.

Contribuição sindical
A proposta torna a contribuição sindical optativa. Segundo o relator, a medida fortalece a estrutura sindical brasileira, ao reduzir o que considera um excessivo número de entidades representativas de empregados. Rogério Marinho argumenta que há no Brasil 11.326 sindicatos de trabalhadores e 5.186 sindicatos de empregadores.
Por Hosa Freitas com informações da Agência Câmara (Antonio Vital)

segunda-feira, 24 de abril de 2017

ALPB reúne agentes comunitários de saúde em audiência pública para debater o PL 6437

A Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) realizou, nesta segunda-feira (24), uma Audiência Pública com agentes comunitários de saúde e agentes de combate às endemias para debater o Projeto de Lei (PL) 6437/2016, que tramita na Câmara Federal e visa regulamentar funções e trazer melhorias para a categoria. A Audiência foi proposta pelo deputado estadual Nabor Wanderley e aconteceu no Teatro Pedra do Reino, no Centro de Convenções de João Pessoa.
O vice-presidente da ALPB, deputado Bosco Carneiro, destacou a relevância da aprovação do PL 6437, de autoria do deputado federal Raimundo Gomes de Matos (PSDB-CE), para regulamentar as atribuições da profissão e, desta forma, dar segurança e reconhecimento a categoria dos Agentes Comunitários de Saúde e dos Agentes de Combate às Endemias. “Esse projeto de lei tem o objetivo de ampliar as funções dos agentes, como também dar caráter privativo a algumas funções, o que valoriza mais ainda a categoria dos agentes comunitários de Saúde”, afirmou o vice-presidente. O projeto, de acordo com o parlamentar, prevê ainda o fortalecimento da categoria através da realização de cursos profissionalizantes e de capacitação.
O deputado Nabor Wanderley, presidente da Frente Parlamentar em Defesa dos Agentes Comunitários de Saúde e dos Agentes de Combate às Endemias da ALPB, explicou que através do PL 6437 será possível definir melhor as verdadeiras funções e tarefas dos agentes. “Esse Projeto de Lei cria realmente as atribuições e regulamenta a função do agente comunitário de saúde e do agente de combate às endemias, porque até hoje não existe a regulamentação da lei nem quais são as suas verdadeiras atribuições. Temos que fortalecer as categorias nos estados para que a pressão vá para o Congresso Nacional e esse projeto de lei possa ser aprovado para que esses profissionais realmente tenham condições de trabalhar sabendo quais são as suas atribuições”, argumentou.
A audiência contou com a presença do deputado federal Valternir Pereira, relator do PL 6437. Segundo o parlamentar, os agentes comunitários de saúde e os agentes de combate às endemias são profissionais fundamentais para a Saúde do país porque são eles que têm o contato direto com a população. “Eles fazem um trabalho fantástico na prevenção de doenças e são essas as atribuições que nós queremos colocar na legislação de forma que possamos valorizar esses profissionais, o que significa fortalecer a atenção básica, a prevenção de doenças e a promoção de saúde”.
O deputado Valternir esclareceu ainda que a matéria buscar especificar de forma clara as verdadeiras atribuições dos agentes para os gestores municipais, evitando assim que estes profissionais sejam desviados de suas funções, deixando a população desprovida. “Nós os queremos os agentes conversando com a dona de casa, conversando com as gestantes, conversando com a adolescente, o adolescente, orientando eles como devem se prevenir de doenças”, afirmou o deputado federal Valtenir, acrescentando ainda que o PL 6437 será levado ao plenário da Câmara para apreciação no próximo mês de maio.
De acordo com o deputado federal Hugo Mota, através de mobilizações como esta a categoria tem obtido avanços e a aprovação do PL 6437 permitirá a valorização e o fortalecimento da categoria. “Estamos aqui cumprindo a missão de melhorar a qualidade da saúde pública do país e isso não irá acontecer sem passar pelas mãos dos agentes comunitários de saúde e dos agentes de combate às endemias, que todos os dias visitam residências para que a saúde possa ser promovida com mais qualidade”, ressaltou Hugo Mota, que compõe a comissão de mérito responsável pela avaliação do Projeto de Lei.
A presidente da Confederação Nacional dos Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Combate às Endemias (Conacs), Ílda Angélica Corrêia, lembrou que a ausência da regulamentação das atribuições dos agentes fragiliza a categoria. “Nós precisamos ter uma legislação que defina a nossa profissão e, além disso, defina as nossas atribuições. Estamos trabalhando pela aprovação do PL 6437 para que saiamos dessa fragilidade e possa ter a segurança jurídica que necessitamos para dar a continuidade aos nossos trabalhos”, argumentou a presidente.
Para o presidente do Sindicato dos Agentes Comunitários de Saúde de João Pessoa, Júnior Leandro, com a regulamentação das atribuições da categoria será possível prestar um serviço melhor à comunidade, assim como obter conquistas e o atendimento de reivindicações. “A discussão é em prol de ofertarmos um serviço melhor à população, não só de João Pessoa, mas de todo o país. Para que possamos fazer cursos de capacitação e desempenhar melhor as nossas atribuições e oferecermos melhor os serviços do SUS”. Para Júnior, o projeto, além de fazer com os agentes possam desempenhar melhor as suas funções, trará segurança em relação a questão salarial e benefícios.
O evento contou também com a presença do deputado federal Benjamim Maranhão, da deputada estadual Estela Bezerra, dos deputados estaduais João Gonçalves, Sérgio Rafael e Trócolli Júnior; do diretor financeiro da Federação Nacional dos Agentes Comunitários de Saúde e dos Agentes de Combates às Endemias (Fenasce), Luís Cláudio Celestino; do diretor da Conacs-PB, João Bosco de Assis; do presidente do Sindicato dos Agentes de Saúde do RN, Cosmo Mariz, além de agentes comunitários de saúde e agentes de combate às endemias do estados da Paraíba, do Rio Grande Norte e de Pernambuco.
Fonte: Paraiba Já

quarta-feira, 19 de abril de 2017

Lamentável: Por falhas de gestões passadas, município de Cubati é prejudicado mais uma vez

Por Kelly Raianne Pessoa





O prefeito Dudu Dantas que assumiu o município em 2013 (primeiro mandato) recebeu recentemente um oficio do FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação) suspendendo a transferência dos recursos financeiros no âmbito do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). Essa não é a primeira vez que Cubati é prejudicado, em 2015 o atual prefeito recebeu uma cobrança da CAGEPA no valor de aproximadamente R$ 100.000,00 (Cem mil reais), deixados nas gestões de 2008, 2009, 2010, 2011 e 2012.

Dudu Dantas deixou claro que é inadmissível tal situação, pois desde o seu primeiro mandato tem enfrentado problemas de gestões passadas que não demonstram respeito algum com o município. “É lamentável esta atitude do Ex-Prefeito que administrou nosso município no período de 2001 a 2008. Além dos débitos deixados na CAGEPA e com o nosso Servidor Público Municipal, deixou a Prefeitura de Cubati, inadimplente na prestação de contas do Programa Nacional De Alimentação Escolar (PNAE), no exercício de 2005. Por conta dessa inadimplência, os recursos destinados para comprar a merenda escolar foram suspensos, Prejudicando aproximadamente 1800 alunos da rede municipal de ensino. Vamos tomar as medidas judiciais cabíveis contra o ex-gestor, e encaminharmos cópia da ação judicial para o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação - FNDE, com ofício solicitando a suspensão da inadimplência do nosso município.” Ressaltou o prefeito de Cubati.

terça-feira, 18 de abril de 2017

Relator da reforma da Previdência prevê escalonamento da idade mínima

     Café da manhã no Palácio da alvorada para discutir a Reforma da Previdência
A assessoria do deputado Arthur Oliveira Maia (PPS-BA) divulgou nesta terça-feira (18) uma versão resumida do seu relatório apresentado hoje em café da manhã com o presidente Michel Temer e líderes da base do governo. A apresentação do parecer na comissão especial da Câmara que analisa a reforma da Previdência (PEC 287/16) foi adiada para esta quarta-feira (19).

Pelo resumo, a idade mínima de aposentadoria no regime geral, o do INSS, será de 62 anos para as mulheres e de 65 anos para os homens após um período de transição de 20 anos. Quando a emenda for promulgada, as idades serão inicialmente de 53 anos e 55, respectivamente.

A manutenção da diferenciação de idade entre homens e mulheres ainda é um dos pontos de controvérsia dentro do governo, segundo o deputado Carlos Marun (PMDB-MS), presidente da comissão especial da Câmara.

O texto preliminar de Arthur Oliveira Maia também muda as regras de transição. Uma das mudanças é no “pedágio” que os trabalhadores terão de cumprir a mais em relação ao tempo de contribuição atual (30 anos para mulheres e 35 para homens). O governo previa um “pedágio” de 50%; o relator baixou para 30%.

Contribuição e cálculo
Arthur Oliveira Maia deve manter em 25 anos o tempo mínimo de contribuição para acesso aos benefícios. Para deputados da oposição, isso inviabiliza as aposentadorias de pessoas de mais baixa renda que, atualmente, costumam pedir o benefício com 15 anos de contribuição.
Segundo o resumo, o valor das aposentadorias passará a ser calculado a partir da média de todos os salários de contribuição desde julho de 1994, conforme previsto na proposta original. Pela regra atual, a média é calculada a partir dos salários mais altos – são considerados 80% do total.
No parecer do relator, o benefício mínimo, aos 25 anos de contribuição, equivaleria a 70% da média de todos os salários – no texto do governo, o percentual é menor, 51%. Após os 25 anos de contribuição, cada ano seria contado a mais, possibilitando a obtenção de 100% da média aos 40 anos de contribuição – e não aos 49 anos, como antes.
Os trabalhadores rurais familiares devem ter idade mínima menor, de 60 anos, com 20 de tempo de contribuição. A alíquota individual de contribuição, provavelmente de 5% sobre um salário mínimo, seria cobrada dois anos após a promulgação da reforma. Atualmente, a contribuição depende da produção vendida.

Pensões e benefícios
Para as pensões, o relator prevê a possibilidade de acúmulo de pensão e aposentadoria, mas com um teto de dois salários mínimos. Pela proposta, o interessado poderá optar pelo benefício maior, caso seja mais vantajoso.
Em relação ao texto do governo, nada muda no cálculo do valor da pensão. O benefício será de 50% da aposentadoria mais 10% por dependente, mas o relator manteve as regras atuais que estabelecem como piso o valor de um salário mínimo.
No caso do Benefício de Prestação Continuada (BPC), Arthur Oliveira Maia mantém a vinculação com o salário mínimo, mas aumenta a idade mínima de 65 para 68 anos. A proposta original sugeria 70 anos.

Servidores públicos
No substitutivo do relator, os servidores acompanham as mudanças feitas para INSS. Na regra de transição, as idades mínimas para aposentar são maiores: 55 anos para as mulheres e 60 para os homens.
O valor do benefício dependerá do ano que o trabalhador entrou para o serviço público. Para os que ingressaram após 2003, o cálculo é semelhante ao do regime geral, começando em 70% da média de todos os salários e podendo chegar a 100%.

Expectativa
Ao sair da reunião com Temer, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse que as mudanças feitas pelo relator devem reduzir em 20% o impacto da reforma no ajuste das contas da Previdência.
O deputado Arthur Oliveira Maia está reunido com senadores no Palácio do Planalto. A ideia é evitar alterações no texto que vier a ser aprovado pela Câmara, de modo que não seja necessário retorno para nova análise pelos deputados.

quinta-feira, 13 de abril de 2017

Semana Santa: Prefeitura Municipal de Cubati distribui pelo 5° ano consecutivo o Kit Páscoa para famílias do município

Por Kelly Raianne Pessoa





A Prefeitura Municipal de Cubati, por meio da Secretaria de Assistência Social (SMAS), distribuiu nesta quarta feira (12) mais de uma tonelada de alimentos (leite de coco e peixe). Cerca de 1.400 famílias foram beneficiadas com o kit Páscoa que foi distribuído pela manhã na zona rural do município e a tarde na Secretaria de Assistência Social.

A dona de casa Maria José Barros, parabenizou a iniciativa da Prefeitura Municipal que em mais um ano distribui o kit páscoa ajudando diversas famílias, principalmente aquelas mais carentes. “Com certeza é uma iniciativa maravilhosa, quantos pais e mães de famílias vão sair daqui e ter algo pra almoçar ou jantar?! Eu sou muito grata porque todos os anos eu recebo e antes isso não existia aqui em Cubati”. Afirmou à beneficiada.

O prefeito Dudu Dantas, que desde o seu primeiro mandato implantou a entrega do Kit Páscoa em Cubati, se demonstrou bastante agradecido e feliz. “Pelo 5° ano consecutivo, e o primeiro em nosso segundo mandato, a nossa gestão distribuiu o Kit Páscoa com as famílias carentes de Cubati. Quero agradecer e parabenizar toda equipe que realizou em mais um ano este belo trabalho. É gratificante para nós percebermos, o quanto essa iniciativa vem contribuir nesse período de Páscoa na vida das pessoas, já que na maioria das vezes não possuem o alimento necessário para se manterem durante esse período”. Explanou Dudu Dantas.
















quarta-feira, 12 de abril de 2017

Mais trabalho: Prefeito Dudu Dantas se empenha para conseguir a criação oficial da cadeia pública de Cubati

Por Kelly Raianne Pessoa





Como prometido, o prefeito Dudu Dantas não mediu esforços de conseguir mais uma obra importante para o município. Há alguns meses atrás foi iniciada a reforma e ampliação de uma cadeia Pública que em gestões passadas não teve o apoio necessário e, portanto foi desativada.


No final do mês passado (Março), o prefeito se reuniu com o Secretário de Estado da Administração Penitenciária, Wagner Dorta, na oportunidade o mesmo solicitou ao governador Ricardo Coutinho a proposição da Lei que estabelece formalmente a criação da Unidade Penitenciária de Cubati.

“Esta é mais uma conquista da nossa gestão como prova de comprometimento com a segurança pública do nosso município. Vamos acompanhar os trâmites legais para que nossa cadeia possa funcionar o mais rápido possível.” Afirmou Dudu Dantas.

Desde que assumiu a cidade de Cubati em 2013, o gestor tem procurado melhorias na segurança, instalando um local de apoio para os policiais atuantes no município, concedendo alimentação e condições de trabalho. No entanto, em seu segundo mandato, segue buscando novos recursos, semana passada participou de uma audiência pública e firmou compromisso com o Sargento Eleutério que atualmente está responsável pela segurança de alguns municípios da região incluindo Cubati, em breve estará implantando em toda a cidade o sistema de monitoramento de câmeras, além de uma companhia que beneficiará com um aumento no efetivo.












TCE-PB bloqueia contas bancárias de cinco prefeituras

O Tribunal de Contas do Estado da Paraíba determinou, na manhã desta quarta-feira (12), o bloqueio das contas bancárias das prefeituras de Catingueira, Diamante, Itabaiana, Mogeiro e Paulista, por não terem enviado à Corte seus balancetes referentes ao mês de fevereiro.
O bloqueio alcança também, pelo mesmo motivo, a Câmara Municipal de Diamante.
O prazo para entrega da documentação se expirou em 31 de março. Cada balancete mensal das unidades gestoras deve ser entregue ao Tribunal até o final do mês subsequente.
Ofícios assinados pelo presidente do TCE, conselheiro André Carlo Torres, e encaminhados ao Banco do Brasil e à Caixa Econômica Federal, ressaltam que o bloqueio implica “a total impossibilidade de movimentação de contas bancárias, através de cheques ou qualquer outro documento hábil”.
Ressalvam, porém, os comunicados que fica autorizada “a realização de transferências bancárias que preservem o pagamento da folha de pessoal, a partir da remessa dos dados necessários à instituição bancária responsável”.

Fotos e redação Ascom

terça-feira, 11 de abril de 2017

Prefeitura municipal em parceria com a Secretaria de Assistência Social realiza o 2° Master Zumba de Cubati

Por Kelly Raianne Pessoa





Na tarde deste domingo (09), aconteceu na praça central de Cubati o 2° Master Zumba. O evento foi realizado com o apoio da prefeitura municipal em parceria com a Secretaria de Assistência Social de Cubati.

Marcado pela diversidade de danças (coreografias), ritmos e muita alegria, a segunda edição do Master Zumba teve a presença de professores da região, a exemplo, de Anderson da cidade de Soledade, Josalba de Pedra Lavrada, Kika de Canoa de Dentro, Laura de Cubati, Sabrinna de Nova Palmeira e Xuxa de São Vicente do Seridó. Dezenas de pessoas participaram do evento que objetiva expandir a prática do zumba e mais que isso, mostrar os benefícios que essa modalidade física pode trazer.

segunda-feira, 10 de abril de 2017

Sindicatos prometem protesto contra presença de Cássio em Boqueirão


O deputado estadual Anísio Maia (PT) afirmou que os movimentos sindicais, principalmente àqueles da base rural, se mobilizarão para protestar na solenidade anunciada pelo Ministério da Integração, na próxima quarta-feira (12), em Boqueirão. O protesto será contra parlamentares “golpistas” e “aproveitadores” da transposição do Rio São Francisco.
“Vamos às ruas e onde for preciso denunciar publicamente quem são os golpistas contra o povo, aprovando medidas como a terceirização, cuja base é tirar direitos históricos dos trabalhadores”, declarou.
Anísio ainda afirmou que as lideranças sindicais irão denunciar a postura do senador Cássio Cunha Lima (PSDB).
“Ele se transformou em ator da Rede Globo porque interpreta papel de ficção no caso da transposição, pois quando superintendente da Sudene, não colocou um centavo para recursos hídricos e quando seu partido era governo mandou arquivar o projeto dizendo que era muito caro”, frisou.
De acordo com Anísio, “quando na oposição ao governo Lula e Dilma agia para inviabilizar a transposição e agora aparece como bom moço, típico ator da Globo pois ele, não fez nada”.
Fonte: Paraíba Já


 
Copyright © 2013 jornal folha informa
Traduzido Por: Template Para Blogspot - Design by FBTemplates