Ultimas

quarta-feira, 14 de outubro de 2015

Jovem matou os pais após ameaça de internação em clínica de reabilitação

Adriano Oliveira
G1 Ribeirão e Franca





Gustavo Ferracine deixou clínica de reabilitação uma 
semana antes de matar os pais, diz delegado
(Foto: Reprodução/EPTV)
Exatamente uma semana antes de matar os pais em Sales Oliveira (SP), o jovem Gustavo Ferracine, de 28 anos, havia recebido alta de uma clínica para tratamento de dependentes químicos onde estava internado. A afirmação é do delegado Vinícius Alexandre Marini, que registrou o primeiro depoimento do suspeito, após a prisão em Ribeirão Preto (SP).

Segundo Marini, os pais ameaçaram internar o filho novamente porque, um dia depois de deixar a casa de recuperação, Ferracine voltou a usar drogas, principalmente crack e cocaína. Durante uma dessas discussões, na madrugada de domingo (11), o jovem esfaqueou e matou os dois dentro de casa.

Postagens mostram que família era unida e tinha bom
 relacionamento (Foto: Reprodução/Facebook)
“Ele estava tendo recaídas, e o pai e a mãe disseram que iam interná-lo novamente. Inclusive, na noite em que ocorreu as mortes, os pais disseram que iam ligar para o pessoal da clínica buscá-lo. Ele, como tinha usado droga, ficou com medo de ser internado, pegou as facas e o martelo para se defender”, contou o delegado.

Segundo investigação da Polícia Civil, Ferracine matou os pais a facadas no quarto do casal, onde os corpos foram encontrados na manhã de terça-feira (13), dois dias após o crime. Em depoimento, o suspeito alegou que estava sob o efeito de crack. “Em determinado momento, o pai ofendeu ele dizendo que era drogado, ‘noiado’, e ele partiu para cima do pai”, disse o delegado.

O suspeito fugiu com o carro da família e foi encontrado na tarde de terça-feira (13) em um motel em Ribeirão na companhia de duas mulheres e um homem, que prestaram depoimento e foram liberados. Ferracine foi levado à cadeia de Batatais (SP), onde cumpre prisão temporária por 30 dias.

Bom relacionamento

Ferracine era filho único do casal. Postagens no Facebook do suspeito mostram que a família tinha um bom relacionamento. Em 10 de agosto, antes de ser internado na clínica de reabilitação, o jovem chegou a publicar uma foto junto com uma declaração de amor à mãe.

“Mãe, você é aquela que supriu sempre minhas necessidades. É aquela que me deu a vida, amor, cuidado, enxugou minhas lágrimas, corrigiu meus erros, me levantou de meus tombos, me deu conselhos, disse não na hora certa”, diz o suspeito na publicação.

O delegado confirma que a família não tinha histórico de problemas e que, em depoimento, Ferracine confirmou que os três eram muito unidos. Ainda segundo Marini, o suspeito disse que matou os pais em um momento de fúria, por estar sob o efeito de drogas. No quarto dele, a Polícia Civil apreendeu cápsulas de cocaína.

“Ele falou exatamente isso: que o pai e a mãe nunca levantaram a mão para ele, nunca agrediram ele, nunca tiveram nenhum problema desse tipo. Foi uma discussão de momento, em que ele se sentiu ofendido pelo pai”, afirmou o delegado.

Arrependimento

Após ser preso, Ferracine disse estar arrependido do crime. Na delegacia em Ribeirão Preto, o jovem afirmou também que atingiu a mãe porque ela tentou intervir na discussão entre ele e o pai. "Eu acabei com a minha vida”, disse na tarde de terça-feira.

Os corpos de Sônia Roseli Corbacho Ferracine, de 49 anos, e de Álvaro Ferracine Filho, de 58 anos, foram enterrados no fim da tarde de terça, em Sales Oliveira. O caso segue sob investigação da delegacia da cidade.

Postar um comentário

 
Copyright © 2013 jornal folha informa
Traduzido Por: Template Para Blogspot - Design by FBTemplates