Publicidade

Queiroga reforça estar perto de comprar mais 100 milhões de doses da Pfizer

Governo federal já adquiriu 100 milhões de vacinas da farmacêutica, mas, segundo ministro da Saúde, um novo contrato para a compra de mais 100 milhões de doses deve ser fechado, totalizando 200 milhões de unidades


(crédito: Aris Messinis/AFP

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, reafirmou nesta segunda-feira (3/5), durante evento da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), que o país está perto de assinar um novo contrato com a Pfizer para a compra de mais 100 milhões de vacinas contra a covid-19. O Brasil já adquiriu 100 milhões de doses, sendo que 1 milhão foram entregues na semana passada.

“Um contrato com a Pfizer já está na iminência de ser fechado. Um novo contrato para 100 milhões de vacinas. O Brasil terá à disposição da sua sociedade 200 milhões de doses da Pfizer, isso equivale a imunizar cerca da metade da sua população ainda esse ano”, afirmou, prometendo que toda a população no país será imunizada contra a covid-19 até o fim do ano.

Segundo o ministro, o novo contrato prevê a entrega de 35 milhões de doses em outubro. Até o momento, somente 1 milhão de unidades, referentes ao primeiro contrato de 100 milhões de doses, chegaram ao Brasil. As doses começaram a ser entregues aos estados nesta segunda-feira.

Nos próximos meses, o país continuará recebendo mais unidades da Comirnaty, vacina da Pfizer. Agora em maio, a pasta prevê o recebimento de 2,5 milhões de doses. Já em junho, mais 12 milhões de unidades, e as 84,4 milhões de doses restantes acordadas no primeiro acordo chegarão no 3º trimestre, entre julho e setembro.

O ministro já havia informado na última semana que estava “na iminência de assinar um novo contrato com a Pfizer para a compra de mais 100 milhões de doses". A afirmação foi feita em resposta à pergunta do Correio Braziliense feita durante a coletiva de imprensa da Organização Mundial da Saúde (OMS), realizada na última sexta-feira (30/4), na qual Queiroga participou como convidado especial.

Na ocasião, o ministro também afirmou que é possível garantir que toda a população brasileira seja vacinada até o fim de 2021 já que o país possui doses suficientes para isso programadas para chegar no segundo semestre deste ano.

Nesta segunda-feira, o ministro voltou a falar sobre o assunto. “Estamos muito entusiasmados com a perspectiva de vacinar toda a nossa população até o final do ano. Isso é plausível, absolutamente plausível”, disse.


Por Correio Braziliense
R. jornal folha informa

Postar um comentário

0 Comentários