Publicidade

Rally: Sertões 2021 começa em Pipa com largada rumo a Patos, na Paraíba

Sertões 2021 acontece de 13 a 22 de agosto. (Foto: Divulgação)

Foram 192 inscritos para corridas em motos, carros, quadriciclos e UTV's. Serão percursos pela Paraíba, Rio Grande do Norte, Pernambuco, Alagoas, Bahia e Piauí.


O Sertões 2021 começou nesta sexta-feira (13), com largada em Pipa, no Rio Grande do Norte, rumo a Patos, no Sertão paraibano. A passagem pela Paraíba também inclui Bananeiras, com programação de atendimento de saúde. Foram 192 inscritos para corridas em motos, carros, quadriciclos e UTV's. Serão percursos pela Paraíba, Rio Grande do Norte, Pernambuco, Alagoas, Bahia e Piauí, segundo apurou o ClickPB.

Por causa da pandemia do coronavírus, a Vila Sertões tornou-se de uso exclusivo dos credenciados do rally. A entrada do público é limitada às restrições de cada cidade-anfitriã. É obrigatório o teste de Covid na entrada da vila. A retirada de kits deve ser feita exclusivamente pelo chefe de equipe para evitar filas.

"Como maior rally das Américas, o Sertões, por si só, é um desafio único para quem o encara, pelas distâncias, variedade de terrenos e o nível técnico elevado. Para as motos e quadriciclos, a edição 2021 da prova, entre 13 e 22 de agosto, traz um tempero a mais: volta a valer pelo Mundial de Rally Cross-Country FIM depois de sete anos. Com isso, vencê-la será sinônimo de triunfo numa etapa do principal campeonato da modalidade. Nos 3.615km de percurso por sete estados do Nordeste, a promessa é de uma prova intensa e bastante técnica, exigindo da navegação e do equipamento. No total, são 65 Motos e 3 Quads na disputa", diz a organização do evento.

Confira toda as informações sobre o Sertões 2021

"Se candidatos à vitória são vários, o favoritismo não pode fugir do vencedor de 2020. O catarinense Ricardo Martins (Yamaha IMS Rally Team) mostrou ser um piloto completo numa edição em que a chuva e a lama trouxeram condições complicadas para a caravana. Desta vez, no entanto, ele terá um rival à altura também no próprio time. Bastante experiente com resultados de destaque nas principais provas de rally cross-country, o francês Adrien Metge viu a participação no ano passado frustrada pelo diagnóstico positivo de Covid-19. Desta vez acelera para se tornar mais um estrangeiro a vencer a prova (o quarto depois de Cyril Despres, Marc Coma e Paulo Gonçalves). A principal oposição às motos azuis vem das máquinas vermelhas da Honda. A equipe alinha três nomes capazes de levar na geral, a começar pelo maior vencedor da história do Sertões, Jean Azevedo (sete títulos). O gaúcho Gregório Caselani, melhor em 2016, está de volta, depois de uma lesão o tirar da edição 2020. E o paulista Júlio Zavatti, o Bissinho, mostrou em sua primeira chance com uma moto da principal categoria estar pronto para brigar pelo alto do pódio (vice-campeão ano passado). Por falar em nome que ganha espaço na disputa, o também paulista Vítor Siqueira está de volta. No ano passado, em sua estreia, ele foi a revelação, com um ritmo consistente e sem erros. Foi bem além do primeiro objetivo, que era vencer na classe Maratona (que não permite a troca do motor e outros componentes) e concluiu o desafio como o terceiro melhor na geral", acrescenta a organização, sobre os competidores.

Bananeiras

Neste sábado (14) e domingo (15), haverá atendimento de saúde infantil, com oftalmologista e odontologista, além de atendimento adulto com urologia, ortopedia e dermatologia (clínica e onco).

Confira a programação completa do Sertões 2021

Metge, Medeiros, Baptista e Baumgart largam na frente rumo à Paraíba

O Sertões 2021, maior rally das Américas, 'pegou no breu'. E começa neste sábado seu caminho que vai desbravar os sertões de cinco estados nordestinos, com nove etapas e mais de 3.600km de desafio. A caravana deixa Pipa, no Rio Grande do Norte, rumo a Patos, na Paraíba, com 235 quilômetros cronometrados em uma região temida pelos competidores: o Seridó. A promessa é de uma especial bastante técnica e trabalhosa, com trechos sinuosos, setores de baixa e média velocidade e trial (piso bastante desgastado com pedras, valetas e buracos). Um cenário que resume bem a cara desta edição, com poucos retões e muita mão de obra para pilotos e navegadores.

A sexta-feira trouxe um aperitivo do que vem pela frente, que colocou os participantes no clima da competição. O prólogo de 10,7km na Usina Estiva testou a caravana com trechos sinuosos, de mata, canaviais e com várias curvas fechadas. E definiu a ordem de largada para a primeira etapa - ser um dos primeiros em cada uma das quatro categorias é sinônimo de fugir da poeira e encontrar um terreno em melhores condições. Uma vantagem preciosa como a água no Sertão.

As diferenças mínimas nas quatro categorias deram uma prévia do que será a disputa até Tamandaré (PE), no dia 22. Entre os carros, apenas nove décimos de segundo separaram os dois carros da X Rally Team. Campeões do Sertões 2020, Marcos Baumgart/Kleber Cincea superaram os vices Cristian Baumgart/Beco Andreotti. Novidade nesta edição, o Buggy Century CR6 T1 FIA de Marcelo Gastaldi e Cadu Sachs já mostrou a que veio, com a terceira posição.

Nos UTVs, que contam com grid recorde, os mais rápidos do dia foram Cristiano Baptista/Robledo Nicoletti, com o Can-Am Maverick X3 da equipe Transmáquinas. Com o mesmo modelo, Vinícius Castro/Rogério Almeida ficaram em segundo, a 6s5. Para os atuais campeões, o Sertões começou com um susto: Deninho Casarini/Ivo Meyer viraram o UTV já nos primeiros metros. Nada sério, mas que exigirá uma prova de recuperação - serão a 76ª dupla a largar para a especial, com a perspectiva de muita poeira e ultrapassagens para fazer.

A disputa nas motos já valeu para a classificação da prova e foi dominada pelo francês Adrien Metge (Yamaha). No ano passado, ele viu frustrada a chance de brigar pela vitória com o diagnóstico positivo para Covid na semana do rally. Agora, vem com tudo para encarar um terreno de predileção. Outro que volta ao maior rally das Américas (lesionado ano passado), o gaúcho Gregório Caselani (Honda) foi o segundo no prólogo.

Entre os quadriciclos, o atual campeão Marcelo Medeiros começou na frente. Por 3s9, levou a melhor sobre o argentino Manuel Andujar, vencedor do Dakar 2021. Em terceiro o polonês Rafal Sonik.


Por Lucas Isídio
ClickPB
R. jornal folha informa

Postar um comentário

0 Comentários